quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Prova 1º ano Filosofia com gabarito

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ
ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SANTA RITA
PROVA BIMESTRAL DE FILOSOFIA
Pensamento do dia: O Aluno que pensa que pescando esta fazendo o professor de bobo se engana, pois faz a si próprio. “Meire Arruda “
ALUNO:
CURSO: SÉRIE: 1 ° ANO N°: CONTEÚDO: ESTÉTICA
PROFESSOR: Meire Arruda DATA: / Setembro / 2011

1) Estudando sobre estética falamos sobre o feio. Marque a opção que nos conceitua o feio.
A) Não existe o feio na arte, pois o feio é a obra mal feita, ou seja, que não correspondeu plenamente a sua proposta e sendo assim não é arte.
B) O feio existe sim na arte, pois ao olhar para algumas eu não gosto do que vejo.
C)Existe muitas obra de arte feia.
D)Todas as alternativas correspondem ao conceito de feio na estética.
E)Nenhuma.

2) Estudamos: Conceito e história do termo estética. Marque a opção que condiz sobre o conteúdo aprendido.
O termo estético foi introduzido no vocabulário filosófico em 1750 pelo filosofo alemão Alexander Baumgarten.
Etimologicamente a palavra estética e de origem grega AISTHESIS, significa faculdade de sentir, compreensão pelo sentido, percepção totalizante.
Hegel introduz o conceito de história ao estudo do belo para ele o belo mudo de face e de aspecto através dos tempos depende mais da cultura e da visão do mundo vigentes do que de uma exigência interna do belo.
Subjetivo é individual, valido para cada sujeito; baseado em valores, preferencial, limites e possibilidades individuais. Objetivo o que tem validade para todos.
Todas as opções acima condizem com o aprendido sobre estética.

3)Complete as lacunas:
___________________ é individual, válido para cada sujeito; baseado em valores, preferências, limites e possibilidades individuais.____________________o que tem validade para todos os indivíduos, não somente para este ou aquele; diz-se do conhecimento que é fundado sobre a observação do objeto.

A)belo,feio
B)estética, arte
C)subjetivo, objetivo
D)beleza, atitude
E)atitude, beleza


4)Vimos nas aulas as concepções de alguns filósofo; identifique abaixo qual a concepção de Alexander Gottlieb Baumgarten.
A) A estética para ele completa a lógica e deve dirigir a faculdade do conhecer pela sensibilidade. Define a beleza estética como a perfeição.
B) Para ele somos obrigados a admitir a existência do belo em si independentemente das obras individuais que, na medida do possível, devem se aproximar desse ideal universal.
C) O vai ainda mais longe, pois deduz regras para o fazer artístico a partir do belo ideal fundando a estética normativa. É o objeto que passa a ter qualidades que o tornam mais ou menos agradável, independentemente do sujeito que as percebe.
D) Relativizam a beleza, uma vez que ela não é uma qualidade das coisas, mas só o sentimento na mente de quem as contempla.
E) Ele tenta superar a dualidade objetividade-subjetividade a firmando que o belo é aquilo que agrada universalmente, ainda que não se possa justificá-lo intelectualmente. Para ele, o objeto belo é uma ocasião de prazer, cuja causa reside no sujeito. Entretanto esse sentimento e despertado pela presença do objeto.
5) Marque a opção que nos mostra conhecimento de gosto e subjetividade.
A)O conceito de gosto não deve ser encarado como uma preferência arbitrária e imperiosa da nossa subjetividade.
B)Ter gosto é ter a capacidade de julgamento sem preconceito.
C)É a própria presença da obra de arte que forma o gosto
D)Todas as opções acima citadas corresponde ao conceito de gosto e subjetividade.
E)Nenhuma.

6)Vimos nas aulas as concepções de alguns filósofo; identifique abaixo qual a concepção dos Filósofos empirismo Locke e Hume.
A) A estética completa a lógica e deve dirigir a faculdade do conhecer pela sensibilidade. Define a beleza estética como a perfeição.
B) somos obrigados a admitir a existência do belo em si independentemente das obras individuais que, na medida do possível, devem se aproximar desse ideal universal.
C) Vai ainda mais longe, pois deduz regras para o fazer artístico a partir do belo ideal fundando a estética normativa. É o objeto que passa a ter qualidades que o tornam mais ou menos agradável, independentemente do sujeito que as percebe.
D) Relativizam a beleza, uma vez que ela não é uma qualidade das coisas, mas só o sentimento na mente de quem as contempla.
E)Tenta superar a dualidade objetividade-subjetividade a firmando que o belo é aquilo que agrada universalmente, ainda que não se possa justificá-lo intelectualmente. Para ele, o objeto belo é uma ocasião de prazer, cuja causa reside no sujeito. Entretanto esse sentimento e despertado pela presença do objeto.

7) Experiência estética, ou a experiência do belo, é gratuita, é desinteressada, ou seja, não visa a um interesse prático imediato.Identifique as opções que ressalta a experiência estética.
A) Não pode ser julgada em termos de utilidade para determinado fim.
B)Não visa ao conhecimento lógico, medido em termos de verdade.
C)Não tem como alvo a ação imediata;
D)As opções A,B,C correspondem a experiência estética.
E)Nenhum

8) Complete as lacunas:
A experiência estética é a experiência da presença tanto do ______________ estético como do sujeito que o percebe. Nenhum argumento racional ou conjunto de regras poderá nos convencer de que um objeto é belo se não pudermos percebê-lo por nós____________, se não estivermos frente a frente com______________.

A) Objeto, mesmos, ele.
B) Mesmos, Objeto, ele.
C) Mesmos, ele ,Objeto,.
D) Ele,Mesmos,Objeto,.
E) Mesmos, Ele,Objeto,.


9)Vimos nas aulas as concepções de alguns filósofo; identifique abaixo qual a concepção de Kant.
A) A estética completa a lógica e deve dirigir a faculdade do conhecer pela sensibilidade. Define a beleza estética como a perfeição.
B) somos obrigados a admitir a existência do belo em si independentemente das obras individuais que, na medida do possível, devem se aproximar desse ideal universal.
C) Vai ainda mais longe, pois deduz regras para o fazer artístico a partir do belo ideal fundando a estética normativa. É o objeto que passa a ter qualidades que o tornam mais ou menos agradável, independentemente do sujeito que as percebe.
D) Relativizam a beleza, uma vez que ela não é uma qualidade das coisas, mas só o sentimento na mente de quem as contempla.
E)Tenta superar a dualidade objetividade-subjetividade a firmando que o belo é aquilo que agrada universalmente, ainda que não se possa justificá-lo intelectualmente. Para ele, o objeto belo é uma ocasião de prazer, cuja causa reside no sujeito. Entretanto esse sentimento e despertado pela presença do objeto.

10) Vimos nas aulas as concepções de alguns filósofo; identifique abaixo qual a concepção de Platão.
A) A estética completa a lógica e deve dirigir a faculdade do conhecer pela sensibilidade. Define a beleza estética como a perfeição.
B) somos obrigados a admitir a existência do belo em si independentemente das obras individuais que, na medida do possível, devem se aproximar desse ideal universal.
C) Vai ainda mais longe, pois deduz regras para o fazer artístico a partir do belo ideal fundando a estética normativa. É o objeto que passa a ter qualidades que o tornam mais ou menos agradável, independentemente do sujeito que as percebe.
D) Relativizam a beleza, uma vez que ela não é uma qualidade das coisas, mas só o sentimento na mente de quem as contempla.
E) Tenta superar a dualidade objetividade-subjetividade a firmando que o belo é aquilo que agrada universalmente, ainda que não se possa justificá-lo intelectualmente. Para ele, o objeto belo é uma ocasião de prazer, cuja causa reside no sujeito. Entretanto esse sentimento e despertado pela presença do objeto.

GABARITO - NOTA ______________



01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
A E C B D E D A A D

Nenhum comentário:

Postar um comentário